TAIWAN » EUA: China optou por reagir exageradamente

Publicação: 05/08/2022 03:00

Os Estados Unidos disseram, ontem, que o lançamento de 11 mísseis balísticos pela China em torno de Taiwan foi uma reação exagerada à visita da presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, à ilha. Washington decidiu adiar um teste de míssil balístico intercontinental (ICBM) planejado para os próximos dias para evitar uma nova escalada de tensões, disse o porta-voz do Departamento de Defesa americano, John Kirby, em entrevista coletiva.

“Em um momento em que a China realiza exercícios militares desestabilizadores em torno de Taiwan, os Estados Unidos estão se comportando como uma potência nuclear responsável, reduzindo o risco de erros de cálculo”, acrescentou.

Kirby lembrou que o presidente Joe Biden conversou com seu colega chinês, Xi Jinping, na semana passada. “As linhas de comunicação ainda estão abertas com Pequim e acho que isso será visto nos próximos dias”, disse.

A China disparou 11 mísseis balísticos contra Taiwan e eles caíram no nordeste, leste e sudeste da ilha, informou Kirby.

Para ele, Pequim usou a visita da presidente da Câmara dos Representantes como “pretexto para aumentar sua atividade militar provocativa dentro e ao redor do Estreito de Taiwan”.

“Não procuraremos provocar uma crise e não queremos uma.Ao mesmo tempo, ninguém nos impedirá de operar nos mares e céus do Pacífico Ocidental, de acordo com a lei internacional”, enfatizou o porta-voz.

É por isso que o secretário de Defesa, Lloyd Austin, decidiu manter o porta-aviões USS Ronald Reagan e seu grupo de apoio, que atualmente navega no Mar das Filipinas, na região  para “monitorar a situação”.

O teste do míssil balístico intercontinental (ICBM) Minuteman será mantido e ocorrerá em data a ser determinada. (AFP)