De mangueiras e de mangas

Vladimir Souza Carvalho
Magistrado

Publicação: 12/01/2019 03:00

Se desejar a manga (não a mulher, ressalte-se bem) do próximo fosse pecado, eu estaria com a alma cheinha de pecado, porque, na cidade ou na estrada, ao me deparar com uma mangueira bem carregada, as mangas caindo em conchas de galhos altos ou  baixos, seja rosa – que a cor abre logo o destaque -, seja espada, seja maria -, as que mais aparecem, minha boca se enche de desejo de devorar as que estão no ponto, sonhando em ir cortando pedaço por pedaço ...