DIARIO POLíTICO » O bom combate

Marisa Gibson
marisa.gibson@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 26/03/2020 03:00

Unidos na luta contra o novo coronavírus e contra a estupidez  do presidente Jair Bolsonaro, os governadores dos 26 estados brasileiros mais o do Distrito Federal estão convictos de que fazem o bom combate. E a eles cabem os riscos dessa empreitada, que envolve resultados positivos ou negativos na área da saúde, no trato da política  e na economia. É possível que Bolsonaro, ao lavar as mãos diante da Covid-19,  tenha tido a ilusão de que, com o discurso da terça-feira à noite, ele iniciava uma escalada vitoriosa contra os governadores, alguns responsabilizados  por um “crime contra o Brasil” , forma como ele vê o isolamento social.

Nessa agonia de um país sitiado por um vírus e comandado por um presidente em transe, coube ao governador Paulo Câmara (PSB) a definição mais precisa da situação: “O Brasil está sem comando.”  O comportamento errático de Bolsonaro contribui bastante para essa sensação de falta de controle, porém o mais preocupante é a perda de autoridade,  realidade que Bolsonaro parece que ainda não se deu conta. É chocante ver um presidente batendo boca com governadores e não ser atendido como aconteceu durante a reunião virtual com os representantes do Sudeste.

Nesse jogo de 27 contra um, o fator político é preponderante em todas as discussões  entre o presidente e os governadores. Bolsonaro está pressentindo que pode perder antecipadamente a corrida para 2022, assim como os governadores  já perceberam a fraqueza política do presidente e não dão trégua. Eles também pensam na sucessão presidencial, nas eleições estaduais e, claro, na disputa municipal que está chegando, se a pandemia da Covid-19 deixar. E esse jogo ainda pode ficar mais perigoso porque a corda continua sendo esticada.

João Doria e Paulo Câmara
Os governadores João Doria (PSDB), de São Paulo, e Paulo Câmara (PSB), de Pernambuco, iniciaram o Governo Bolsonaro com posicionamentos  antagônicos. Pior, ainda na transição, os governadores do Nordeste, eleitores do presidenciável derrotado Fernando Haddad (PT), entre os quais Paulo Câmara, se recusaram a participar de encontro promovido por Doria em torno do então presidente eleito Jair Bolsonaro. Agora, estão todos no mesmo barco. Aliás, coube a Doria concretizar a sugestão dada por Paulo, ainda terça-feira à noite, para a realização da videoconferência entre os 27 governadores ontem no final da tarde. Doria é a principal liderança do Fórum Nacional de Governadores e candidatíssimo a presidente da República.

Marcando posição
Os governadores do Nordeste, que sempre mantiveram um posicionamento aguerrido frente a Bolsonaro, fizeram também reunião virtual ontem para responder às provocações do presidente no discurso da terça-feira: “Vamos manter medidas”, avisaram. No grupo, Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão, é uma liderança marcante e se coloca como possível candidato à Presidência da República.

Mandetta
O sucesso é um fardo: muita gente ficou esperando que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, deixasse o cargo logo após o pronunciamento do presidente Bolsonaro na  terça-feira ou no mais tardar na manhã de ontem. Para a decepção de seus admiradores que queriam vê-lo longe do governo, Mandetta comandou, à tarde, a divulgação de novos dados da Covid-19. Já o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), que articulou a ida de Mandetta para o Ministério da Saúde, rompeu com Bolsonaro e terminou roubando a cena.

Corrida
Foi preciso uma crise das proporções da Covid-19 para que a população tivesse conhecimento do desprendimento, digamos assim, de senadores, deputados federais, estaduais e vereadores que participam de uma verdadeira maratona para ver quem mais ajuda  no combate ao coronavírus. São projetos, doações, isenções , renúncias de benefícios como o fundo eleitoral, emendas entre outras iniciativas.Tudo dinheiro público, mas...

Descontos
O desconto de 15% no valor do IPTU, anunciado pela Prefeitura do Recife,  para quem antecipar o pagamento do imposto a ser vencido em 2021, é pouco atrativo mesmo se tratando de um gesto para ajudar  no combate ao coronavírus . Em tempos de normalidade, é de 10% o desconto do IPTU para quem faz opção pela parcela única.

Estimação
O vereador do Recife e ativista da causa animal Ricardo Cruz (PP) iniciou uma campanha nas redes sociais para desmentir fake news sobre a possibilidade dos animais transmitirem o novo coronavírus.