Bolsonaro tem convite para entrar no PTB Bancada do partido se reuniu ontem com o presidente e o convidou a se filiar à sigla, devido à indefinição sobre a criação do Aliança pelo Brasil

Publicação: 14/01/2021 03:00

Atualmente sem partido, o presidente Jair Bolsonaro recebeu, na manhã de ontem, a bancada do PTB no Palácio do Planalto. Segundo parlamentares, a legenda convidou o chefe do Executivo a se filiar à sigla. Na mesa, também esteve em pauta o auxílio emergencial, ajuda paga pelo governo até o fim do ano passado.

“Nós viemos fazer um convite para ele ir ao PTB, reforçar o nosso compromisso para, a partir de janeiro, ele estar conosco”, apontou o deputado Paulo Bengston (PTB-PA). Além dele, também estiveram na reunião os deputados Wilson Santiago (PB), Emanuel Pinheiro Neto (MT), Marcelo Moraes (RS), Nivaldo Albuquerque (AL) e Santini (RS).

Desde que deixou o PSL, o presidente e seus aliados tentam fundar o Aliança Pelo Brasil, no entanto, o projeto ainda não conseguiu o número mínimo de assinaturas para ter o registro na Justiça Eleitoral.

Em dezembro, Bolsonaro prometeu um “partido de direita” para abrigar as candidaturas que irão lhe apoiar no projeto de reeleição em 2022. O chefe do Planalto afirmou que, caso não consiga criar um partido próprio, irá se filiar a alguma legenda existente até março. E reclamou de burocratização.

“Está difícil, burocratizou-se muito a questão da formação de partido. Se eu tivesse feito lá atrás um partido, alguns anos atrás, sem problema nenhum. Agora decisão minha: março, se o Aliança não estiver formado em março, é possível formar, sim, mas se não estiver formado, já estou namorando aí alguns partidos, vou fechar com um, para esse pessoal poder se preparar para 2022”, disse.

Auxílio emergencial

O deputado Wilson Santiago (PTB-PB) afirmou a jornalistas que pediu ao presidente a rediscussão sobre o retorno do auxílio emergencial. “Cobramos do presidente a necessidade da questão do auxílio emergencial ser rediscutido e ver as condições que o Brasil tem de atender a essa demanda de grande parte dos desempregados”, declarou.

Eleição da Câmara

A respeito da eleição da Câmara, Santiago negou que Bolsonaro tenha cobrado posicionamento e que o partido deverá se posicionar até a próxima semana sobre qual candidato apoiará. “Não houve, por parte do presidente, nenhuma cobrança.” (Ingrid Soares, do Correio Braziliense)

Doria
O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), criticou ontem a declaração do presidente Jair Bolsonaro, que colocou em dúvida a eficácia da vacina CoronaVac. “Ao invés de comemorar o fato de o Brasil ter um imunizante seguro e eficaz para combater a pandemia, ele ironiza a vacina”, escreveu o tucano, por meio de uma rede social. “Enquanto brasileiros perdem vidas e empregos, Bolsonaro brinca de ser presidente”. Horas antes, o chefe do Executivo ironizou a eficácia de 50,38% da vacina CoronaVac. A apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, o chefe do Executivo questionou: “Essa de 50% é uma boa ou não?” O mandatário emendou que tem “apanhado” com as críticas, mas que a população, agora, “está vendo a verdade” sobre os imunizantes contra Covid-19.

O PTB

  • 212 prefeitos

  • 12 deputados federais

  • 31 deputados estaduais

  • 2.474 vereadores

  • Nenhum governador

  • Nenhum senador