Fundaj abre diálogo com os consulados Presidente da entidade se reuniu com representantes de 11 países da América, Ásia, África e Europa

Publicação: 08/11/2019 03:00

A Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj) promoveu, na noite de ontem, o I Encontro das Representações Internacionais em Pernambuco. O evento apresentou a instituição a cônsules de diversos países, com o intuito de viabilizar futuras parcerias e trocas de conhecimento. Estiveram presentes representantes da Albânia, Malta, República Dominicana, Senegal, Países Baixos, Bulgária, Alemanha, Eslovênia, Filipinas, Estados Unidos e México, que conheceram a sede da Fundaj, em Casa Forte, Zona Norte do Recife.

“Essa casa hoje faz um gesto. Um gesto pelo diálogo. O diálogo como forma de resolver os problemas do mundo. Estaremos sempre abertos para o diálogo, para construir pontes que ajudem a construir caminhos e fazer um mundo melhor”, declarou o presidente da Fundaj, Antônio Campos. O gestor da entidade aproveitou o momento para defender os programas sociais. “O que mais precisamos é de inovação social, para combater a desigualdade”, acrescentou.

O grupo de cônsules foi recepcionado por Campos, que os levou, primeiro, para ver o Museu do Homem do Nordeste. Em seguida, foi hora de todos se reunirem na sala Gilberto Freyre, onde foram apresentados detalhes dos serviços prestados pela Fundaj, como os cursos oferecidos pela Escola de Inovação e Políticas Públicas. O tour terminou no solar Francisco Ribeiro, que passou por uma reforma recentemente e, desde essa quinta, é palco da exposição Tempo de Nabuco.

Em nome das representações presentes, o cônsul-honorário da Eslovênia, Rainier Michael, agradeceu o gesto de proximidade. “A sociedade está mudando, pedindo soluções mais rápidas às questões mundiais. A humanidade precisa não só de diversidade, mas de inclusão, especialmente neste momento que o mundo passa”, afirmou, celebrando o legado de Gilberto Freyre: “É importante pegar isso e transformar em algo vivo, útil para as novas gerações”.

A importância do encontro também foi destacada pela cônsul-honorária dos Países Baixos, Annelijn van der Hoek. “Essa troca entre estado e países, com certeza, irá trazer benefícios para jovens e adultos. O espaço aqui (Fundaj) é muito bem cuidado. A história, a arte, tudo é muito bem conservado, além de cíclico: a história vai se renovando, mas as raízes seguem”, afirmou.