EMPREENDEDORISMO SOCIAL » Mais cidades fazendo política pública com voluntariado

por Fábio Silva
Fábio Silva é empreendedor social, criador da ONG Novo Jeito, Porto Social, Transforma Brasil e Festival VOX
fabio@novojeito.com
diariodepernambuco.com.br

Publicação: 08/11/2019 03:00

A ideia de fazer um match entre ONGs e voluntários tem obtido a adesão de várias prefeituras pelo Brasil. A próxima cidade a ter uma plataforma de voluntariado em parceria com o Transforma Brasil será Caruaru. O lançamento será nesta quarta-feira (13), as organizações sociais poderão cadastrar suas vagas e esperar a inscrição dos voluntários.

A primeira cidade a ter uma plataforma que cruza os dados de quem quer ajudar com quem precisa de ajuda foi o Recife, em 2015, quando foi lançado o aplicativo Transforma Recife. Em quatro anos de funcionamento, o site já contabiliza mais de 1,8 milhão de horas de trabalho voluntário realizado.

De lá para cá, são cerca de 150 mil voluntários inscritos e mais de 500 ONGs cadastradas. A nossa iniciativa virou programa de política pública adotado pela Prefeitura da Cidade do Recife e foi premiada pela ONU Smart como um dos programas que mais contribui com o desenvolvimento das cidades. A partir daí, a plataforma também foi implantada nas cidades de Campinas, em São Paulo; Petrópolis, no Rio de Janeiro; Cuiabá, no Mato Grosso; em Campina Grande, na Paraíba; em Fortaleza, Ceará; e Petrolina, Pernambuco.

O site transformabrasil.com.br oferece vagas em todo o Brasil, mas de forma independente, sem necessariamente ter uma atenção específica das prefeituras ou da iniciativa privada, como acontece em Brasília. Na Capital Federal, por exemplo, o site tgssolidario.com.br, em parceria com o Taguatinga Shopping, são 72 ONGs cadastradas, com 11 mil horas de trabalho voluntário realizadas.

Outros exemplos de parceria do Transforma Brasil com a iniciativa privada é o site WS Solidário, lançado recentemente pelo cantor Wesley Safadão e que é destinado para promover o engajamento cívico entre os fãs do artista; e uma plataforma que está sendo construída em parceria com o Grupo Neoenergia e será lançada em breve.

Outros artistas que têm parceria com o Transforma Brasil é o duo Anavitória, que só recebe no seu camarim fãs cadastrados na plataforma, e o artista plástico Eduardo Kobra, que recentemente passou a contar com voluntários cadastrados para atuarem nas suas obras.

As parcerias mais recentes com cidades são com Petrolina, em agosto, e Fortaleza, em abril. A primeira já conta 16 mil horas trabalhadas por voluntários. A segunda já está chegando em 150 mil horas.

O objetivo é espalhar essas políticas públicas de incentivo ao voluntariado em todo o País e mudar a realidade em que 7,2 milhões de brasileiros praticaram alguma ação voluntária em 2018, segundo o IBGE. Este número representa apenas 4,3% da população brasileira. No Recife, onde tudo começou, o número de voluntários já ultrapassa o dobro da média nacional. Por aqui, 11% da população atua como voluntária.

A ideia é que o crescimento de voluntários em todo o País possa acompanhar esse mesmo ritmo, a partir da ampliação do incentivo a esta prática. A plataforma permite que as pessoas que querem ser voluntárias, mas não sabem onde, encontrem as vagas em organizações que precisavam de voluntários, mas não sabiam como encontrar. É um ‘match’ do bem.

Para que esse número de voluntários do Brasil cresça, é preciso criar políticas públicas de incentivo ao voluntariado. Nos Estados Unidos, por exemplo, há uma série de benefícios para aqueles que têm algum tipo de engajamento cívico. Exemplos: pontuação diferenciada em provas de concurso público e prioridade no ingresso em universidades. Segundo levantamento da agência americana, os voluntários têm 27% mais chances de conseguir emprego do que aqueles que nunca tiveram experiência semelhante.

Com abrangência em todo o país, a plataforma Transforma Brasil permite o cadastramento de vagas de trabalho voluntário por ONGs e movimentos sociais de todo o país. As oportunidades podem ser permanentes ou em eventos pontuais. Atualmente há mais de mil organizações cadastradas de Norte a Sul do Brasil. Lá as pessoas podem se cadastrar para atuar como voluntários e encontrar oportunidades onde podem ser úteis. Mais de 200 mil pessoas fazem parte do banco de dados.