O dia que ninguém esqueceu O fechamento da Agamenon Magalhães, por um protesto que durou cerca de 12 horas, trouxe a discussão sobre o direito de ir e vir e o de protestar

Publicação: 14/02/2020 03:00

O protesto mais longo já visto no Recife com o fechamento de uma das principais avenidas de tráfego da cidade, a Agamenon Magalhães, ainda repercute e levanta a discussão sobre o direito de ir e vir e o direito constitucional de protestar. O Diario ouviu dois especialistas em urbanismo e mobilidade e dois personagens que estiveram em lados opostos durante a paralisação que durou 12 horas e travou a cidade por um dia inteiro.

Para o coordenado...