Quarentena para quem for à ilha Administração de Noronha instituiu isolamento domiciliar de uma ou duas semanas, a depender do estado de saúde, a todos que desembarcarem

Publicação: 26/03/2020 03:00

Por determinação da Administração de Fernando de Noronha, todas as pessoas que desembarcarem na ilha vão passar por investigação do seu estado de saúde, através de um questionário epidemiológico, como forma de prevenção ao novo coronavírus. Os passageiros terão que ficar isoladas em casa por, no mínimo, sete dias, mesmo que não tenham sintomas de gripe. Para as pessoas que apresentarem algum tipo de sintoma, como tosse ou febre, o isolamento domiciliar obrigatório será por 14 dias. A medida entrou em vigor ontem.

O primeiro voo recebido com essa nova regra transportou 24 pessoas. A Administração Distrital montou uma operação na área de desembarque do aeroporto, em conjunto com a Vigilância Sanitária e a Polícia Militar. Todos os passageiros responderam o questionário e foram orientadas sobre a quarentena.

“Foram 23 moradores e uma pessoa da área da saúde. Foi aplicado o teste epidemiológico para identificar o local de onde cada um veio, se apresenta ou não os sintomas de gripe. Depois, todos foram notificados a manter quarentena. Algumas pessoas vão ficar 14 dias e o outro grupo sete dias. É importante esta ação, porque é mais uma medida para evitar a circulação do coronavírus em Fernando de Noronha”, disse o superintendente de Saúde do arquipélago, Fernando Magalhães.

Atualmente só são permitidos voos na ilha para o transporte de moradores regulares perante o controle migratório do distrito e de servidores públicos federais e estaduais, bem como para outras situações excepcionais definidas pelas autoridades sanitárias. “A quarentena para quem chega do continente será fiscalizada, inclusive nas residências. A pessoa que descumprir poderá sofrer processos”, diz Guilherme Rocha, administrador de Fernando de Noronha.

A medida faz parte do plano de ação para combater o novo coronavírus na ilha. Depois do decreto estadual que suspendeu pousos e decolagens de voos comerciais no arquipélago desde o último sábado, 21, a administração também determinou a proibição de atividades turísticas no diistrito.

Não há turistas na ilha atualmente, pois todos já saíram na última semana. Só a população e os funcionários essenciais estão no arquipélago. A ideia é isolar Noronha para que novos casos não surjam. A administração divulgou ontem que a ilha tem cinco casos suspeitos da Covid-19. Os exames serão encaminhados ao Laboratório Central de Pernambuco (Lacen), no Recife.

A administração lembra que o arquipélago segue a recomendação das autoridades sanitárias, como a Secretaria de Saúde de Pernambuco e o Ministério da Saúde. Guilherme Rocha acredita que as medidas para o recolhimento social são necessárias na contenção do vírus o mais rápido possível. Para isso, no entanto, pede o apoio do ilhéu para vencer a batalha que o mundo está enfrentando.

“É importante que a população veja a necessidade de ficar em casa, isolada. Essa é a única forma eficaz de vencer o vírus. A gente precisa passar por esse momento, que é chato, entediante. Mas tenho certeza que seremos o primeiro lugar do país que será salvo dessa pandemia. Se cada um fizer a sua parte agora, em pouco tempo venceremos esse vírus. Temos condições de sermos pioneiros nesta guerra. Vamos ser esse exemplo para o Brasil e o mundo”, completou o administrador.

Entenda
  • 14 dias será a quarentena para quem apresentar sintomas
  • 7 dias para quem não apresentar sinais da doença
  • 3.061 pessoas vivem em Fernando de Noronha, segundo projeção do IBGE
  • 106 mil turistas visitaram o arquipélago em 2019
  • 0 turista se encontra na ilha atualmente