Mais de 3,6 mil recebem chaves de habitacional Prédios do Conjunto Habitacional São Lourenço I, II e III foram financiados pelo programa Casa Verde Amarela, substituto do Minha Casa, Minha Vida

Publicação: 17/10/2020 03:00

Três conjuntos habitacionais foram entregues, ontem, no bairro do Pixete, em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife. Ao todo, foram construídos 900 apartamentos e as unidades devem beneficiar mais de 3,6 mil pessoas em situação de vulnerabilidade social.
A dona de casa Rinalda Maria Silva, de 50 anos, morava de aluguel e comemorou o recebimento das chaves. “Isso é um sonho realizado. Só Deus sabe quantos anos de luta passei pagando aluguel, passando necessidade. Mas hoje, graças a Deus estou contando a vitória”, diz.
Para Dayana Ferreira, 30, foi um alívio descobrir que iria se mudar para um apartamento com acessibilidade. O filho dela, Wanderson Rodrigo, de 14 anos, tem paralisia cerebral e se locomove em cadeira de rodas. Segundo ela, a rotina ficará mais fácil na casa adaptada. “As portas são largas, o banheiro é todo acessível. Isso significa uma mudança de vida”, conta.
Por conta da pandemia do novo coronavírus, a entrega das chaves foi feita de forma simbólica a apenas cinco famílias. O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, em visita ao Nordeste para entrega de obras, participou da cerimônia ao lado do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), o senador Márcio Bittar (MDB), dos deputados federais Silvio Costa Filho (Republicanos), Danilo Forte (PSDB), Pastor Eurico (PHS), André Ferreira (PSC) e do deputado estadual Guilherme Uchôa (PSC).
“Essa é uma ação que o governo está fazendo no Brasil inteiro desde o primeiro dia de mandato. Estamos retomando obras que estavam atrasadas, que foram iniciadas em governos anteriores, porque entendemos que obras dessa importância não podem ficar paradas”, comentou Marinho.
A construção dos prédios no Conjunto Habitacional São Lourenço I, II e III foi financiada pelo programa habitacional Casa Verde Amarela, criado por medida provisória para substituir o Programa Minha Casa, Minha Vida. A MP ainda deve ser votada pela Câmara e pelo Senado para ser transformada em lei.
De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Regional, nos últimos dois anos foram entregues mais de 650 mil moradias do programa. Foram investidos R$ 912 milhões para atender beneficiários com renda mensal de até R$ 1,8 mil. De janeiro a agosto, mais de 253 mil residências foram entregues em todo o país.