Halo solar encanta recifenses que olharam para o céu pela manhã Fenômeno óptico foi visto facilmente no céu da Capital de Pernambuco e fotografado por milhares

Publicação: 14/01/2022 03:00

O céu do Recife virou, ontem, o assunto do dia nas redes sociais por causa de um curioso e belíssimo fenômeno conhecido como "Halo Solar", que começou a ser notado pela população pouco antes do meio-dia. O círculo em volta do Sol despertou a curiosidade de muita gente para entender o que exatamente provoca a sua formação.

Professor do Departamento de Física da UFPE, Bruno Carneiro explicou as similaridades com o arco-íris e as especificidades desse fenômeno. “O princípio é o mesmo que o do arco-íris, que refrata a luz branca - que é a composição de todas as cores – do sol através das gotículas de água. A diferença é que, nesse caso, estamos falando de cerca de 10km de altura, então as partículas são muito mais frias, as nuvens são densas, ou seja, são gotículas de gelo. Num lugar sem essas gotículas, não vemos isso”, explanou.

Carneiro comentou também que, apesar de a região Nordeste não possuir estações do ano bem definidas, a mudança climática é um dos principais fatores. “Como estamos em janeiro, início da época de chuvas, as correntes de ar frias que vêm do sul se sobrepõem às do Equador, que são mais quentes. É especificamente essa sobreposição que é responsável pelo fenômeno, que só pode ser observado, portanto, em regiões próximas ao Equador”. Embora o Halo Solar não tenha nenhuma implicação objetiva no dia dos recifenses, é mais uma radiante razão para contemplar o céu de verão da nossa cidade.

O halo é um fenômeno óptico caracterizado pelo surgimento de um círculo ao redor do sol. Essa ocorrência se dá na troposfera, a cerca de 17 quilômetros de altitude, quando a luz do sol é refletida e refratada por cristais de gelo presentes na atmosfera terrestre, causando assim a dispersão da luz. O formato circular está ligado à estrutura hexagonal desses cristais.

“O fenômeno da refração consiste na mudança de direção e velocidade da luz ao passar de um meio para o outro.

PRISMA
Os cristais de gelo presentes na atmosfera funcionam como pequenos prismas que decompõem a luz branca do sol nas cores primárias, formando assim o halo solar de forma semelhante ao que ocorre com o arco-íris”, explicou a pesquisadora Mariane Mendes. “Assim como acontece no sol, ao redor da lua também pode surgir o halo. A formação de um halo lunar ocorre da mesma forma que o solar, porém, a visualização das cores escuras é mais difícil, sendo possível observar melhor apenas as cores mais claras”, acrescentou.