Mulher foi morta e enterrada sem cabeça Corpo mutilado de vítima de feminicídio estava no quintal de sua casa, na Zona Norte do Recife. Suspeito do crime era sobrinho dela e ex-presidário

Publicação: 13/05/2022 03:00

O corpo de uma mulher de 62 anos, que estava desaparecida, foi encontrado por familiares, no último dia dia 6. A vítima estava enterrada em sua própria residência, no bairro de Dois Unidos, na Zona Norte do Recife. A Polícia Civil informou que o corpo foi encontrado com a cabeça decepada, que ainda está sumida. De acordo com o delegado Luiz Alberto Braga, titular da 5ª Delegacia de Polícia de Homicídios (DPH), a idosa se chamava Elsa Maria da Silva, e os familiares sentiram sua falta em 2 de maio. A polícia também informou que um homem foi preso em flagrante na última terça-feira (10), no bairro de Caixa D’água, em Olinda, na Região Metropolitana do Recife (RMR). O suspeito é sobrinho da vítima, e, de acordo com a polícia, é ex-presidiário.

O acusado foi preso anteriormente por tráfico de drogas e roubo, mas está em liberdade desde julho de 2019. Com o suspeito foram apreendidos dois facões, um saco de náilon, uma sandália pertencente à vítima, uma bolsa feminina, dois panos de chão e um isqueiro. No local também foram encontrados pedaços de um tecido, conhecido como estopa, sujo de sangue. “Essas estopas foram encaminhadas para a perícia, que fará a comparação para saber se esse sangue é da vítima”, disse o delegado.

As investigações continuam na tentativa de localizar a cabeça da vítima, porém o delegado afirma que: “Recebemos a informação de que a cabeça, em um momento posterior, teria sido enterrada e queimada”, declarou. As informações foram repassadas ontem, em entrevista coletiva.

Braga revelou que o acusado estava em situação de rua. “A tia já teria dado abrigo a ele. A gente tem informações de que eles estariam bebendo e, por algum desentendimento, teria decidido matar a vítima”, disse. Segundo ele, os agentes apuraram outra informação sobre a decapitação do corpo da mulher, na qual uma testemunha relatou ter visto um homem andando com um saco de náilon e dizendo “acabei de matar um cara e estou com a cabeça dele aqui dentro, você quer ver?”.

Braga também informou que o acusado negou participação no crime, mas revelou que já teve “vontade de matar a tia após ela expulsá-lo de casa”. A polícia relatou que há indícios de que o autuado haveria consumido drogas antes do crime. “Ele faz uso de drogas e, segundo testemunhas, fica descontrolado. Acredito que ele não tem problema mental, já que conseguiu ocultar o cadáver e permanece negando o assassinato”, acrescentou.

FEMINICÍDIO
A polícia ainda divulgou que o crime foi registrado como feminicídio. O tipo de crime fica configurado quando a vítima é morta por ser mulher. De acordo com dados da Secretaria de Defesa Social (SDS) entre janeiro e dezembro de 2021, Pernambuco registrou 86 crimes de feminicídio tendo um índice de 12,79% maior do que o registrado em 2020, quando ocorreram 75 crimes desse tipo.

A Ouvidoria Estadual da Mulher atende gratuitamente pelo telefone 0800-281-8187, disponível para denúncias e informações sobre a rede de proteção. Para casos de emergência policial, deve-se ligar para o 190.