Portas abertas para a arte Após cinco meses fechados, equipamentos culturais geridos pelo governo estadual, como o Museu do Estado, o Maspe e o de Arte Contemporânea, reabrem para visitação do público

JULIANA AGUIAR
juliana.aguiar@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 16/09/2020 03:00

Após uma pausa de mais de cinco meses provocada pela pandemia do novo coronavírus, museus, galerias e outros espaços de fomento à arte em Pernambuco retomam o funcionamento hoje. O Museu do Estado de Pernambuco, Estação Capiba - Museu do Trem, Museu de Arte Sacra de Pernambuco (Maspe), Museu Regional de Olinda, Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco, Museu da Imagem e do Som de Pernambuco, Torre Malakoff e Espaço Pasárgada, todos na Região Metropolitana do Recife, voltam a receber o público seguindo normas de distanciamento e cuidados de higiene.

Os espaços retornam com exposições permanentes. O Maspe, localizado no Alto da Sé, em Olinda, tem a mostra Rogai por nós, que propõe leituras filosófica, histórica e social das artes sacras e religiosas. O horário de visitação dos equipamentos é de terça a sexta, das 11h às 17h (o Espaço Pasárgada abre de segunda a sexta), sábados e domingos, das 14h às 17h. Ações de música, teatro, cinema e saraus realizadas nesses locais permanecem suspensas. O Museu do Mamulengo - Espaço Tiridá, que funciona no Mercado Eufrásio Barbosa, em Olinda, também reabre hoje totalmente adaptado, com horário especial das 9h às 13h. No local, também foi liberado o funcionamento da loja da Cepe Editora e do Centro de Artesanato de Pernambuco.

Os equipamentos devem seguir um protocolo geral elaborado pelo governo do estado. Entre eles, o limita da capacidade máxima por ambiente e turnos de visitação e regras de circulação com distanciamento na proporção de um visitante a cada 20 metros quadrados nas áreas expositivas internas e um visitante a cada 10 m2 nas áreas externas. Também consta no documento um aumento da periodicidade da limpeza e desinfecção do local e uso obrigatório de máscara. Os cafés, restaurantes e demais serviços instalados dentro dos museus também deverão obedecer às normas sanitárias.

Cada equipamento será adaptado de acordo com as necessidadess e terá sinalização informativa acerca das recomendações e práticas para funcionários e público. A flexibilização não atingirá, neste momento, o Museu do Barro de Caruaru, o Teatro Arraial Ariano Suassuna e os cinemas São Luiz e Cineteatro Guarany, também ligados à Fundarpe.

O Paço do Frevo e a Arte Plural Galeria, ambos no Bairro do Recife, foram os primeiros a reabrir as portas, na última semana. Todo o setor foi liberado para retornar a operação no dia 31 de agosto, mas os espaços precisaram passar por um processo de readequação das estrutura e implementação de procedimentos de prevenção.
 
OUTUBRO

O Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Mamam), Museu da Cidade do Recife, o Murillo La Greca, Galeria Janete Costa, Memorial Luiz Gonzaga e Núcleo Afro, geridos pela Prefeitura do Recife, ainda estão nos ajustes finais e devem ser reabertos no dia 1º de outubro. O Instituto Ricardo Brennand (IRB), na Zona Oeste do Recife, retomará o funcionamento a partir de 2 de outubro. Já o Centro Cultural Cais do Sertão, no Bairro do Recife, tem feito capacitações, mas ainda não tem previsão de retorno.  O Museu do Homem do Nordeste (Muhne) reabrirá parcialmente à medida que as instalações dos sistemas estruturais e de segurança forem avançando - a meta é reabrir o espaço expositivo até dezembro.