Comportamento

Ela tem a força Depois de perder 53 quilos de gordura - e ganhar sete de massa muscular - psicóloga mostra como venceu a luta contra a obesidade

texto: Cláudia Eloi
claudia.eloi@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 12/08/2017 09:00

Aluno da Academia S3 Fitness, no Cordeiro, o coordenador de escola Wellington Ramos perguntou para a professora e personal trainer Nayara Lima por que aquela moça de olhos castanhos, tatuada e com um corpo escultural dedicava tanto tempo à musculação. Na avaliação dele, o intenso esforço físico da psicóloga Sarah Cadosh, 30 anos, era desnecessário. A explicação o surpreendeu. Sarah, que acabava de chamar sua atenção no vai e vem dos exercícios físicos e levantamento de peso, tinha sido obesa e chegado a pesar 110 quilos. Há dois anos, submeteu-se a uma cirurgia bariátrica e perdeu 53 quilos com atividades físicas e alimentação saudável. Agora ela se prepara para surpreender ainda mais: em 2018, quer subir no palco e participar de sua primeira competição como fisiculturista.

Sarah sabe que não será uma conquista fácil. O Índice de Massa Corpórea (IMC) de pessoas saudáveis gira entre 21 a 25. A psicóloga chegou a 38 de IMC na fase de obesidade e hoje está com 22. Ganhou sete quilos de massa magra neste ano. Atualmente está com 64 quilos distribuídos em 1,70 metro de altura. Para participar de uma competição feminina de fisiculturismo, o índice de gordura corpórea varia entre 10% a 12%. Ela está com 15%.

A rotina é realmente de uma atleta. Faz dieta rigorosa, malha de segunda a sábado e, se por algum motivo sair da rotina, capricha nos exercícios físicos, com atividades também aos domingos. Tem uma equipe multidisciplinar para ajudá-la na “travessia”. Tudo é feito por orientação de um nutrólogo, nutricionista e um personal trainer.

Quando criança, Sarah era “cheinha”. Na adolescência, encontrou no esporte a fórmula para emagrecer. Mas aos 15 anos, após deixar a natação, passou a ter problemas com a balança. No vai e vem de engorda e emagrece, na rotina de tomar remédios para perder peso e de dietas mirabolantes, a ex-atleta teve que conviver por longo tempo com o desconfortável efeito “sanfona”. Chegou num nível de obesidade que não conseguia mais emagrecer, apesar das diversas tentativas.

Sua mãe havia se submetido a uma cirurgia bariátrica há 18 anos e teve resultado excelente. Com a autoestima em baixa, dificuldade de locomoção e dores pelo corpo por conta do excesso de peso, Sarah passou a pensar no que poderia fazer para mudar aquela rotina de dor e desistímulo. Optou por algo radical, que de fato mudaria completamente sua vida. “Aos 28 anos cheguei aos 110 quilos e, para mim, foi muito chocante. Não só pelo peso em si, mas para toda dificuldade que trouxe para minha vida. Eu sentia dor no joelho, na coluna, eu não tinha mais vida”, recordou.

Após fazer a dieta do sol, da lua, da sopa e nada funcionar para perder peso, Sarah decidiu-se pela cirurgia, mas teria um longo caminho a percorrer para alcançar seu objetivo. Sem plano de saúde, teve que recorrer ao SUS. “Após a bariátrica, fiz uma promessa a mim mesma. Eu iria mudar a minha vida e nunca mais deixaria a comida e o sedentarismo atrapalharem. Nunca mais teria os maus hábitos que me levaram à obesidade. Com o tempo, a musculação deixou de ser um sacrifício e se tornou uma atividade de amor para mim”, revelou.