Educação e Religião

No céu aparece a mãe de Jesus Centenário de Nossa Senhora em Fátima tem celebrações no Recife

Ana Paula Neiva (texto)

Publicação: 13/05/2017 03:00

 (Roberto Ramos/DP)

Cem anos já se passaram desde o dia em que os irmãos Francisco e Jacinta Marto e a prima deles, Lúcia dos Santos, testemunharam, pela primeira vez, a aparição da Virgem Maria, na Cova da Iria, em Portugal. Foi no dia 13 de maio de 1917. Neste sábado, acontece a cerimônia de santificação dos dois irmãos pelo papa Francisco. Francisco e Jacinta são os mais jovens beatos não-mártires da história da Igreja Católica. Em 1999, foi reconhecido o primeiro milagre atribuído às crianças: a cura de Maria Emília Santos.

Deficiente física há 22 anos, ela levantou da cadeira de rodas em 1989. Mas, para serem canonizadas, era necessário um segundo milagre. O que ocorreu em 23 de março de 2013, segundo a igreja, quando uma criança do Paraná, com seis anos, sobreviveu a uma queda de sete metros, mesmo sendo desenganada pelos médicos. Francisco e Jacinta morreram em 1919, aos dez e nove anos, respectivamente, vítimas da gripe espanhola. A prima deles, Lúcia dos Santos, a mais velha dos três pequenos pastores, tornou-se freira e viveu até os 97 anos. Desde 2008, o Vaticano planeja também beatificá-la. É com grande expectativa que a comunidade católica no mundo aguarda a cerimônia. No Recife, onde está situado o mais antigo Santuário de Fátima, no bairro da Boa Vista, desde o começo da semana ocorrem celebrações.

Apesar da distância de quase seis mil quilômetros que separam a cidade de Fátima do Recife e a história dos pastores, a fé dos fiéis é a mesma. O Diario ouviu testemunhos de milagres que não obtiveram a chancela do Vaticano. Histórias comoventes, que fazem acreditar que o impossível pode acontecer, basta ter fé.