GASTRÔ

CURIOSAMENTE » Os novos pães nossos de cada dia Regionalismo e filosofias gourmet e fit fortalecem o mercado e recriam 1.001 formas de manter alimento queridinho das refeições

reportagem: Marcela Assis | curiosamente24h@gmail.com

Publicação: 21/10/2017 03:00

Se fosse preciso apontar, entre diversos alimentos da culinária mundial, as comidas mais versáteis e afetivas, o pão entraria nas primeiras colocações da lista. Com uma produção média de 380 quilos por minuto no estado, a massa ganha variadas versões nas mesas pernambucanas. Filé de siri, abóbora, castanha de caju, inhame, caldo de cana, goiaba e até carne de sol dividem espaço com a farinha de trigo em misturas irreverentes. Além de carregar elementos regionais e movimentar a economia local, as padarias despertam lembranças familiares e fazem parte do imaginário coletivo.

A relação com o alimento que nasceu há 12 mil anos na Mesopotâmia, em paralelo ao cultivo do trigo, transpõe os limites das padarias. Algumas pessoas cultivam paixão pela culinária e optam por fazer a massa em casa a partir de receitas de família e dividem entre amigos. Outras, motivadas por restrições alimentares, como intolerância ao glúten, também recorrem ao próprio forno. Na prática, cada um vai achando uma forma de não retirar o “rei do café da manhã” do cardápio familiar. Tanto que, no Brasil, são cerca de 34 kg de pão consumidos por pessoa a cada ano.

Exploramos a cultura do pão entre os pernambucanos, sua face econômica e inovações propostas por padarias locais, discutimos os benefícios do alimento milenar para a saúde e elaboramos um roteiro de pães diferentes que você precisa experimentar – se quiser tentar fazer o seu próprio pão, ensinamos também. Não aconselhamos virar a página em caso de fome: cada palavra e foto foram pensadas para seu deleite.