GASTRÔ

Em busca da essência Consumo de alimentos orgânicos e ecológicos proporciona menos riscos à saúde e agrega sabor marcante às receitas

texto: MATHEUS RANGEL
ESPECIAL PARA O DIARIO
matheus.rangel@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 13/01/2018 03:00

Saber a procedência do alimento levado à mesa de casa e fugir dos agrotóxicos e conservantes industriais. São essas as preocupações compartilhadas por quem defende o consumo de orgânicos. Além de estar associado à promoção da saúde, o termo abarca o fomento ao pequeno comerciante e agricultor local. Para alguns, contudo, não basta ser orgânico: é preciso ser também ecológico e atentar para o impacto ambiental provocado por todas as etapas do processo produtivo, da nutrição adequada do solo com insumos autorizados até a escolha de sementes agroecológicas e conservadores naturais, para estender a vida útil da fruta, verdura ou carne. Na gastronomia, a preferência por ingredientes que passam por esse tipo de cuidado reflete-se não somente no bem-estar de quem come, mas também no resultado final do prato. Quanto maior a qualidade, mais marcante o sabor. Sem muitos sacrifícios, é possível colocar em prática receitas elaboradas utilizando materiais de origem orgânica. A preferência é sempre por hortaliças frescas e frutas da estação. O que não dá para ser comprado no próprio estado muitas vezes precisa ser importado até mesmo de fora do país, o que pode resultar no aumento do preço final ou na inacessibilidade de alguns itens.