LUGAR CERTO

Consumo consciente População pode mudar hábito de desperdiçar água através de medidas preventivas no dia a dia

Wagner Souza
Especial para o Diario
wagner.antonio@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 23/03/2017 03:00

Valois acredita no avanço da redução de consumo se cada um fizesse sua parte (Luiza Bessa/divulgação)
Valois acredita no avanço da redução de consumo se cada um fizesse sua parte
Que a água é a base da vida, todos nós já sabemos. Agora, se a consumimos de maneira correta e consciente é bastante questionável. Quem nunca esqueceu uma torneira ligada ou já passou tempo demais no banho com o chuveiro ligado? Enquanto várias cidades do interior de Pernambuco sofrem com a seca, na Região Metropolitana do Recife é evidente o abuso do uso de água que há na região. São práticas recorrentes em diversos domicílios, sobretudo nos condomínios residenciais, nos quais é utilizado um bom volume devido à quantidade de moradores. E como mudar este cenário? O primeiro passo, segundo especialistas, é buscar uma conscientização e depois partir para a ação, através de medidas que contribuam para a economia da água. Síndicos, funcionários e moradores de condomínio devem fazer a sua parte, usando a água com consciência.

Para o professor de pós-graduação de gestão ambiental do Centro Universitário da FG, Luis Cometti, as pessoas precisam ficar sensibilizadas com a causa antes da conscientização. “A partir desta sensibilização, a população adota medidas para reduzir o consumo da água, evitando o uso exagerado da mesma”. O professor também orienta que os moradores podem se planejar desde antes de se mudar ou durante uma reforma. “Quando troquei de apartamento, por exemplo, escolhi um revestimento que não precise de água para ser limpo. Torneiras com abertura 1/4 também ajudam a economizar, sendo mais eficientes que aquelas temporizadas”, completa.

O administrador Gustavo Valois, 50 anos, acredita que seria um grande avanço se cada um fizesse sua parte. "Moramos em uma região que não tem regularidade da chuva, limitando um pouco a reposição de água nos reservatórios. E o desperdício abusivo que há na população contribui ainda mais para que um dia falte água. É necessário que as pessoas entendam isso e pensem mais no meio ambiente. Ele garante que faz a sua parte. “Não canso de pegar ‘no pé’ das minhas filhas e chamar a atenção para a necessidade de evitar o desperdício. Quando lavo os pratos, só ligo a torneira quando necessário. Assim como faço para escovar os dentes”, acrescenta.

Uma medida adotada por vários condomínios é a individualização da água. Segundo o gerente comercial da Techmetria, Adalberto Moura, conta da água é a segunda maior despesa de um residencial. “Quando a medição é coletiva, os moradores não têm muito controle e atenção. O consumo acaba sendo exagerado. A partir dos hidrômetros individualizados, eles ficam mais atentos. É claro que é importante economizar água de qualquer maneira, mas a preocupação se torna maior quando o impacto vai direto no seu bolso”, comenta. Para o professor Luis Cometti, essa medida é essencial para essas moradias. “Os condôminos passam a se preocupar mais e mudam o hábito antigo de gastar exageradamente”, completa.