Moda e Beleza

Além da moda Guarda-roupa inteligente é um excelente aliado em tempos de crise, contra o mau humor e pode revelar o seu verdadeiro estilo

Aline Ramos
aline.ramos@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 21/10/2017 09:00

Vestir-se muitas vezes pode ser um momento de sofrimento. A busca constante para se encaixar no que determinam os padrões de beleza acaba tirando o foco de pontos importantes: qual é a mensagem que sua roupa quer passar? Seu look representa quem você é ou só mostra que está por dentro das tendências? Para saber o que usar é necessário saber o que forma sua personalidade.

Numa época de consumo desen- freado, muitas pessoas estão voltando seu olhar e percebendo que viver com menos é mais fácil. Ter menos coisas faz com que você saiba administrar melhor o uso delas.

Uma das soluções e que com o passar do tempo já teve sua nomenclatura alterada diversas vezes é o guarda-roupa inteligente, que em vez de causar frustração, revela seu estilo, proporciona praticidade, economia e, consequentemente, coopera no seu humor, já que você não vai precisar passar horas procurando o que vestir.

Mas antes de sair tirando todas as roupas do seu armário, você deve fazer um estudo sobre sua personalidade e entender como é sua rotina diária para então, definir seu estilo. “Nós temos nossas necessidades internas. As pessoas que optam por um estilo mais casual têm como prioridade o conforto e a praticidade. Já as pessoas que gostam de estar mais elegantes priorizam a adequação. Elas gostam de causar uma boa impressão logo no primeiro momento. Na verdade, o estilo transparece o que está no coração de cada um”, explica a consultora de imagem pessoal e profissional Tainá Alencar.

Ainda de acordo com a especia- lista, para montar um closet que atenda às necessidades de cada um é necessário seguir cinco requisitos básicos. “Primeiro, ele deve focar nas suas prioridades, na sua personalidade e nos seus valores. Segundo, busque peças que beneficiem o seu corpo, porque você deve se sentir bem e confortável com o que veste. Outro ponto é a versatilidade. Não é necessário ter várias peças para ter vários looks diferentes. Suas roupas devem combinar entre si. Em quarto lugar, invista na funcionalidade, seguindo o seu dia a dia, ou seja, você vai ter mais roupas para aquela parte do dia que você demanda mais tempo. Se você trabalha num escritório de advocacia, por exemplo, adquira looks que são mais formais. Por último, a imagem que você quer passar para as pessoas deve estar claramente em suas roupas”, revela.

Tainá Alencar conta que não há um número preciso de quantas vestimentas devem compor o guarda-roupa inteligente. No entanto, é preciso atentar se as peças escolhidas podem conversar entre si. Por         exemplo, a parte de baixo deve combinar com ao menos três peças para ela ser considerada versátil.

“Cada pessoa tem um contexto de vida e uma necessidade diferente. Uma pessoa pública, por exemplo, precisa de mais looks, porque ela é mais vista. Contudo, se há essa preocupação de ter roupas que possibilitem várias combinações, dá para manter um closet mais enxuto, funcional e econômico. A partir do momento em que você deixa de comprar por impulso e aposta em produtos que serão verdadeiramente úteis, as compras desnecessárias não vão ser mais responsáveis por ocupar boa parte da sua renda”, destaca a consultora de imagem pessoal e profissional.

Segundo a cromoterapia (tratamento que consiste na utilização das cores para curar doenças e restaurar o equilíbrio físico e emocional), nós somos psicologicamente afetados pelos tons. Ou seja, as roupas que vestimos ao longo do dia exercem forte impacto sobre as nossas atitudes e sensações. Além disso, uma cor que não combine com seu tom de pele pode deixá-lo com o aspecto mais envelhecido.

“Um método que utilizo antes de propor o guarda-roupa inteligente é uma análise cromática, que identifica quais são as cores que ficam mais harmônicas no seu tom de pele. Quais cores deixam o seu rosto com o aspecto mais saudável, jovem, iluminado e que valorizam sua beleza natural? Esse processo é realizado com o auxílio de tecidos que foram fabricados especificamente para isso e a gente compara o efeito dessas cores sobre o rosto”, pontua.

Depois de entender seu estilo, sua necessidade e suas cores é hora de investir ou até mesmo de garimpar em seu armário as peças que se adéquem a este novo formato de menos é mais. A consultora alerta para três pontos na hora da escolha: “Você não pode abrir mão de peças de boa qualidade. O custo-benefício é certeiro! Outra dica é ter roupas com cores e cortes mais básicos. O básico nunca é cafona. E, para arrematar o seu guarda-roupa inteligente, tenha peças de impacto. Não precisa serem várias, até porque serão pouco utilizadas. Mas de vez em quando, é necessário dar aquele up no visual”, finaliza.

Vestindo autoestima
  • Respeite-se: saiba o que você gosta de vestir, entendendo que você é o que mais importa, e não a moda. Se o seu guarda-roupa estivesse pegando fogo, quais seriam as três peças que você salvaria? Elas traduzem um pouco sobre você, sua personalidade e suas prioridades.
  • Aceite-se: em vez de se crucificar na frente do espelho tentando esconder ou disfarçar alguma parte do seu corpo, lembre-se sempre da parte que você mais valoriza. Pensar positivamente sobre o seu corpo ajuda a aceitá-lo com mais carinho.
  • Ajuste perfeito: veja se sobra uma folguinha entre a peça e o seu corpo (normalmente meio polegar) para que você consiga sentar-se, levantar-se e abaixar-se sem medo.
  • Desapegue: toda peça nova que entra no seu armário pode ser a saída daquela roupa que você não usa mais e, consequentemente, daquela energia estagnada.
CINCO DICAS PARA TER UM GUARDA-ROUPA INTELIGENTE
  1. Faça pelo menos duas vezes por ano, faça uma triagem tirando todos os itens do armário e observe se ainda estão em bom estado, se lhe servem, se ainda combinam com seu estilo e se você ainda quer usá-los.
  2. Avalie sua rotina, estilo e o que precisa e quer transmitir com sua imagem no trabalho e no lazer, faça uma lista de peças-chave que funcionarão na maior parte dos dias.
  3. Defina uma cartela de cores que você ame, combinem com seu tom de pele e entre si para que seu armário seja o mais versátil possível.
  4. Prefira menos peças, mas com maior qualidade. Quanto mais tecido natural estiver presente, mais movimento, menos suor e maior durabilidade essa peça terá.
  5. O rosto é a primeira coisa que notamos uns nos outros. Assim, o que está lá embaixo (calças, saias, shorts ou bermudas) fica mais incógnito e livre para ser mais repetido.