Moda e Beleza

Quando a maquiagem desmascara o poder Inspirado em ícones da música pop e encorajado por alguns tutoriais da internet, pernambucano encara desafio mundial

Larissa Lins
larissa.lins@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 28/10/2017 03:00

Uma jornada de empoderamento e autodescoberta separa o mês de agosto em que o estudante pernambucano Mateus Rodrigues se maquiou pela primeira vez e o agosto seguinte, quando ele se tornou o primeiro brasileiro a encarar o desafio 100 Dias de Maquiagem, proposto na internet. Durante o intervalo entre os dois eventos, ele acumulou um arsenal de cosméticos, adquiriu habilidade com os pincéis e passou a propagar na capital pernambucana o uso da maquiagem como ferramenta de construção da própria identidade, desmistificando a participação masculina no segmento. Hoje, a menos de 20 dias da conclusão do desafio, Mateus se tornou referência para seguidores virtuais de todo o país: moda e indústria cosmética, ele ensina, podem ajudar as pessoas a se tornarem quem elas sempre quiseram ser.

“É uma forma de mostrar ao mundo a persona que você vê em si mesmo. E, além disso, [maquiagem] é uma atitude política. Eu sendo um homem e saindo de casa maquiado, frequentando diferentes espaços com meu rosto pintado, isso é um discurso de libertação. Eu me imponho ali”, avalia o estudante. Aos 19 anos, Mateus Rodrigues é reconhecido pelo codinome Phyno e se destaca pelo pioneirismo no Brasil em meio às mais de 350 mil publicações com a hashtag #100daysofmakeup, propagadas no Instagram por maquiadores profissionais e amadores de todo o mundo.

Não se considera, contudo, caso isolado: é parte, segundo ele, de uma geração disposta a subverter padrões e abrir caminhos em meio a preconceitos e convenções, fazendo uso de ferramentas como música, moda e estilo pessoal para travar suas batalhas e defender ideologias. “Eu faço parte de um todo, a minha geração é assim. Sobretudo nas redes sociais, onde os debates estão mais avançados e o mundo parece estar mais à frente, mais no futuro. Todas as discussões podem ser encontradas nas redes e todos se sentem mais livres nesse ambiente virtual”, diz.

Uma busca rápida pelos marcadores #100daysofmakeup e #100daysofmakeupchallenge revela, de fato, produções de todos os tipos, remetidas à rede a partir de vários pontos do globo. São maquiagens artísticas, cinematográficas, casuais, estampando milhares de rostos livres, coloridos. Há alguns contornados, transformados, propositadamente desfigurados, pessoas se divertindo consigo mesmas. Mateus (@phynocomph_), em meio aos outros participantes, dá destaque às pálpebras, se inspira em ícones da música pop e resgata tendências dos anos 1980, listando todos os produtos usados em cada composição.

“Todos os dias, logo cedo, eu observo o que está acontecendo no mundo, na música, na moda… coisas que estão ‘bombando’ podem virar maquiagens, além das referências ao estilo vintage. Já me inspirei em Rihanna, em Anitta… Sempre que tenho tempo livre, leio sobre maquiagem, sobre o que há de novo no segmento. Me tornei um apaixonado pelo tema”, conta o pernambucano.

A escolha do verbo é cuidadosa: Mateus Rodrigues se tornou um aficionado por cosmética. Isto porque não se mostrava interessado pelo ramo desde sempre. Foi aos 15 anos, assistindo a tutoriais de maquiagem no YouTube, que se despertou nele a curiosidade pelas técnicas e foi comprada a sua primeira base líquida – que misturava ao hidratante, para obter uma cobertura mais leve.

“Eu testei as primeiras maquiagens na minha irmã, porque me sentia muito travado para usar em mim mesmo. Depois, descobri homens youtubers que se maquiavam e aquilo me encorajou. Eu perguntei: por que não posso me maquiar também?”, lembra Mateus. Foi a única vez que ele se fez a pergunta. Depois disso, foi mais livre: a maquiagem, ao que parece, tem lhe dado todas as respostas.

Tendências
  • Cores quentes estão em alta. Vale apostar em tons de rosa e vermelho, que são as principais cores da maquiagem atual. Laranjas e terracotas também estão valendo.
  • Traços muito duros estão fora de moda, vale mais o esfumado. À exceção do delineador marcado, que continua forte.
  • Blushs mais quentes têm roubado a cena dos blushs mais leves, que pareciam quase inexistentes. É a vez de marcar um pouco as maçãs com tonalidades de rosa e terrosos.
  • A principal etapa é preparar bem a pele. Um rosto limpo e bem hidratado segura muito mais a maquiagem e mantém a pele mais saudável.
  • Duas dicas para fixar bem os produtos: selar os líquidos e cremosos (bases e corretivos, sobretudo) com uma leve camada de pó. Além disso, usar spray fixador para finalizar. Costuma ser ainda melhor do que o primer, que às vezes conflita com a base.