Turismo

Deserto mesmo somente no nome Cada vez mais brasileiros descobrem os atrativos do Atacama, no Chile, com seus cenários que parecem de filme

Anamaria Nascimento
anamaria.nascimento@diariodepernambuco.com.br

Publicação: 11/02/2017 03:00

Apontado como um dos destinos imperdíveis para 2017, segundo o jornal The New York Times, é possível conhecer mais de 375 atrações espalhadas entre vales e montanhas (Anamaria Nascimento/DP)
Apontado como um dos destinos imperdíveis para 2017, segundo o jornal The New York Times, é possível conhecer mais de 375 atrações espalhadas entre vales e montanhas

Paisagens que parecem ter saído de uma obra de arte, vegetação única e achados arqueológicos são alguns dos motivos que fazem milhares de turistas encararem uma viagem ao deserto mais árido do planeta. Ir até o Deserto do Atacama - no Norte do Chile, pertinho da Bolívia - é correr o risco de delirar por causa do soroche (mal de altitude), bater o queixo de frio quando acorda, tirar todos os casacos durante o dia por causa do calor de rachar e, ainda assim, voltar para casa deslumbrado e querendo voltar na primeira oportunidade.

Esse ponto do mapa chileno, que num primeiro contato parece inóspito, tornou-se um dos mais procurados pelos brasileiros nos últimos anos. Foi o único local da América do Sul a ser listado pelo jornal The New York Times na relação dos dez destinos que farão a cabeça dos viajantes em 2017. No ranking que a seção de viagens do jornal norte-americano prepara anualmente, o Deserto de Atacama ficou no segundo lugar. O céu limpo, com características únicas no mundo e que permite observar as estrelas, foi um dos atrativos ressaltados pela publicação.

Segundo o governo chileno, o deserto é um dos destinos que mais atraem turistas no país. Lá, é possível experimentar mais de 375 atrações, entre elas o Vale da Lua, os Gêiseres de Tatio, as Termas de Puritama e visitar as belíssimas Lagunas Altiplânicas. Visitando esses locais, é possível entender o interesse da indústria de entretenimento. No Atacama foram rodadas cenas dos filmes Diários de motocicleta (2004); Quantum of solace (2008), da franquia James Bond, e a novela brasileira Os dez mandamentos (2015).

Vale da lua e Vale da morte
Os vales da Lua e da Morte são os lugares que fazem o turista realmente se dar conta de que está em um deserto. Esse passeio costuma ser feito no fim da tarde. Assim, é possível caminhar sob temperaturas mais amenas e ainda ver o pôr do sol em uma paisagem de tirar o fôlego. É o tour mais próximo de San Pedro do Atacama (a aproximadamente 15 minutos de carro do centro da cidade), por isso, é muito comum turistas alugarem bicicletas (há vários estabelecimentos que alugam bikes em San Pedro) para fazer o passeio por conta própria. No Vale da Lua, a entrada custa 2 mil pesos chilenos. Já o tíquete para acessar o Vale da Morte custa 1 mil pesos chilenos. Lua, a entrada custa 2 mil pesos chilenos. Já o tíquete para acessar o Vale da Morte custa 1 mil pesos chilenos.

Piedras Rojas (Anamaria Nascimento/DP)
Piedras Rojas

Piedras Rojas
Não tem quem não fique impactado vendo a paleta de cores no Salar de Talar, onde ficam as Piedras Rojas. O contraste do vermelho das pedras com o céu azul e a água verde é de deixar a pessoa em silêncio por alguns minutos. A sensação é de estar dentro de uma pintura. Algumas agências de turismo oferecem café da manhã no local. As mesas são montadas nas proximidades da lagoa, e o turista que paga por esse serviço pode fazer a refeição com a bela paisagem de fundo. O salar faz parte de uma cadeia de vulcões com lagos cristalinos. Para esse passeio, recomenda-se o uso de uma muda de roupa para frio extremo e também roupa leve para o retorno, além de óculos de sol e protetor solar.  

Lagunas Altiplânicas (Anamaria Nascimento/DP)
Lagunas Altiplânicas

Lagunas Altiplânicas

Nesse tour, visita-se os imponentes vulcões Miscanti e Meniques, que se elevam sobre lagoas de cor azul, que levam os mesmos nomes. Acredita-se que uma erupção causou a divisão entre as lagoas. O destino, que fica a cerca de duas horas de San Pedro de Atacama, fica na Cordilheira dos Andes e é um dos sete setores da reserva nacional dos flamingos. A entrada custa 3 mil pesos chilenos. Por causa da distância em relação a San Pedro, dificilmente o turista consegue fazer esse passeio por conta própria, como acontece com os Vales da Lua e da Morte. Não se assuste se encontrar uma vicunha (camelídeo andino parecido com uma lhama) perto das lagoas.    

Termas da Puritama
As Termas de Puritama são como um óasis no deserto mais árido do planeta. São oito piscinas de águas termais com temperatura de 33,5°C em meio a um visual deslumbrante. Excelente passeio para encerrar a viagem ao Atacama, que costuma ser cansativa. As termas com propriedades terapêuticas e medicinais estão localizadas a 35 quilômetros de distância de San Pedro de Atacama. Jaqueta corta-vento, calçado confortável para caminhar, roupa de banho, toalha, chinelo, chapéu ou lenço para se proteger do sol, óculos de sol, protetor solar e água são itens indispensáveis para o passeio. A entrada no parque, que está localizado a 3,5 mil metros de altitude, custa 15 mil pesos chilenos.

O que levar
Hidratante, colírio, protetor solar, chapéu, casaco, gorro, roupa de banho, luva, chinelo, cachecol. A lista de itens indispensáveis para quem vai ao Deserto do Atacama parece confusa, mas como independentemente da estação do ano as temperaturas variam muito ao longo do dia, é preciso estar preparado para o calor de rachar e também para temperaturas muito baixas nos passeios em lugares de maior altitude. Em apenas um dia, o turista pode enfrentar de temperaturas negativas a 35°C, dependendo do horário. Também é bom garantir um kit de primeiros socorros, uma vez que não há hospitais em San Pedro do Atacama. O mais próximo fica em Calama, a uma hora da cidade.

Como chegar

Não existe voo direto para San Pedro do Atacama saindo do Brasil. O aeroporto mais perto da cidade fica a cerca de 90 km, em Calama. É para lá que o turista deve se dirigir caso opte por viajar de avião. Duas companhias áereas fazem o voo que sai de Santiago: Sky Airline e Latam. O voo até Calama dura aproximadamente duas horas. Da capital chilena também saem ônibus para San Pedro ou Calama. A opção é mais barata, porém, muito mais cansativa. São quase 24 horas de viagem. Chegando a Calama, a opção mais popular entre os turistas que vão a San Pedro é o traslado por vans que saem de cinco em cinco minutos. O transfer custa cerca de 20 mil pesos por pessoa (R$ 100, ida e volta).   

Insert
Em 2014, dois brasileiros se perderam no Deserto do Atacama e tiveram que beber urina e comer carne de lagarto para sobreviver. Sem sinal de celular e com o carro quebrado, os paulistanos Chico Morais e José Alalou passaram quatro dias vagando pelo deserto mais árido do planeta. Eles chegaram a gravar vídeos de despedida para familiares e amigos achando que iam morrer.